quarta-feira, 24 de agosto de 2011

THIAGO DE MELLO / LUCIAH LOPEZ



RELEITURA DO POEMA PERTO DO FIM/THIAGO DE MELLO

Poema perto do fim

A morte é indolor.
O que dói nela é o nada
que a vida faz do amor.
Sopro a flauta encantada
E não dá nenhum som.
Levo uma pena leve
De não ter sido bom.
E no coração, neve.
(Thiago de Mello)


QUASE NO FIM...

Se não sentimos a mão fria da morte
Não há dor em morrer.
Só o amor sopra sua melodia
E veste de silêncio o som da lágrima, e
De leve, bem de leve flana
Sem ser sentido, sem ter sentido
Deixa no coração
Gélidos flocos de neve.
(Luciah Lopez)

Nenhum comentário:

Postar um comentário