quarta-feira, 24 de agosto de 2011

GIRASSÓIS


Girassóis 


Não sei onde estou... 
Entorpeço-me neste firmamento 
fragmentado 
incorpóreo 
longínquo, 
neste decorrer de horas inúteis. 

No meio deste desassossego, 
girassóis estéreis 
perguntam-me 
_ Onde mora a solidão humana? 

E das cinzas dos mortos 
desperto em morno tédio 
febril, 
incerta seiva 
viajando entre céu e inferno, 
onde felicidade 
é o adormecer eterno.



Um comentário:

  1. Luciah,

    Obrigada pela visita e parabéns pelo belo espaço!

    Um abraço,
    Lou

    ResponderExcluir