sexta-feira, 15 de julho de 2016

TEMPO

 TEMPO
 
___ o tempo adormeceu na minha mão
a solidão
 e resolveu escrever sobre o meu tormento
começando pelas palavras
 desenhadas 
na minha pele e 
 tatuadas na minha alma...
... a noite morreu em cada espaço do meu corpo
e o que seria luz do dia,
foi apenas o esboço da felicidade
nas palavras
rimadas___sentença e morte
que não tem começo e nem fim.
 
 
 

terça-feira, 12 de julho de 2016

POEMA DE AREIA


Poema de Areia

trancafiados estão os poemas
guardados aos olhos dos peixes
à sanha dos cavalos marinhos
e salgadura de toda
água do mar

trancafiados estão os poemas
bem longe dos beijos do vento
que ao relento 
nem mesmo a lua conseguem encontrar

e no silêncio dos versos
as rimas choram e o olhar decassílabo
descansa perpendicular ao tempo
feito um relógio que adormeceu os ponteiros.



terça-feira, 5 de julho de 2016

LUA LÍRICA




LUA LÍRICA

na penumbra
a lua suspira [e pira o cabeção]
cheia de lirismo
feito cigarra cantadeira
sopra segredos [no ouvido dos amantes]
e olha de soslaio - profana que é, se deita
e espera
da noite boêmia e vadia,
que todas as janelas se fechem
e todas as bocas se beijem
e todos os corpos se amem
e a exaustão do amor carnal
seja eficiente "arder" em febre
até incendiar_______corpo e alma

PASSAGENS



PASSAGENS

( ! ) ...passaram - se tantos anos
antes que eu percebesse o Tempo e suas faces.
O que eu enxergava como sendo uma gravura,
tem agora uma leitura mais profunda e
torna-se real à medida em que eu vou caminhando
- nada se mantém imutável.
Nem mesmo as estrelas
e ao final de cada tarde,
o dia morre no silêncio das cores.
Muitas vezes eu fecho os olhos
e o escuro singularmente frio se aproxima
- seria essa presença
um motivo para tristeza ou mesmo o medo? !
Eu não sei...
Então, abro os olhos
e a visão emplastada de um vermelho profundo
revela que eu ainda tenho tempo
pois eu não estou isenta de paixão.
E com esta certeza no meu coração,
eu me sento ali mesmo
e me ponho a admirar mais um por do meu sol.