segunda-feira, 21 de março de 2016

MANHÃ DE OUTONO



Manhã de Outono

Ainda ontem era verão
e no teu calor, a minha pele ardia
reverberando o amor outrora guardado
outrora calado.

Agora é outono...

...e as cores belas e quentes 
me envolvem em ondas
tal qual o seu amor (de outrora)

Agora é outono, e eu te amo
como quem ama a vida e o direito de viver
de viver e ser feliz e nada mais...

E as estações se repetem
vestindo cores
arrebatando os nossos sentidos
dando ao amor, uma nova roupagem

Agora é outono...

... e os teus olhos de menino/passarinho
não sucumbe ao farfalhar das horas
e me surpreendem a cada dia
na melodia do teu cantar

Agora é outono, e eu aqui
amenizando a saudade
fugindo de veleidades______assomando o amor
meu coração se veste das tuas cores
sejam elas primaveris ou outonais
e todos os meus "ais" e "tais" são pra você
e minguem mais.

Agora é outono, e eu te amo 
já não mais à revelia e se tal paixão
que me preenche corpo e alma e me acalma
e te aclama noite e dia
sem que haja tristeza ou escárnio
e que mantém o meu coração
na tua sintonia e nas ânsias cruas de desejo
à fartar-me do teu amor, ah, então isso é amor
e não mero desejo.

Agora é outono, e os meus olhos
acordados pelas cores
desenham a tua geografia
apartando as horas não vividas
porque é grande e belo o meu amor por você.


para Odur



foto: LL

2 comentários:

  1. Sendo Outono, é tempo propicio à poesia do amor. O bonito poema indicia isso.
    Abraço

    ResponderExcluir