terça-feira, 11 de julho de 2017

DA NOITE E SEUS OLHARES


A noite é minha!
É rainha.
É ordinária.
Se deita nos bancos das praças,
se refestela
e banha em chafariz de água fria.
É sentinela e avarenta,
é vadia!
Se diverte beijando a linguagem abstrata
das sombras e em cada esquina
a noite é andarilha.
É perfumada
e envolta em sedas se faz mulher.
Atiça os sonhos
rompe tratados,
adoece os homens em seus folguedos.
A noite é ira fria
gole de Absinto
é brancura do luar.
A noite dobra os destinos e seus afins
traz os castigos, os desencantos e
os fatalismos...
A noite é uma mulher___ que te sorri.



Nenhum comentário:

Postar um comentário