quarta-feira, 31 de março de 2021

POESIA SEM TÍTULO II



Tem um duende dentro do meu sonho.

Um pote de ouro
um papel e uma caneta – rabiscos?!
Não sei.
Insone, ele caminha
feito aranha, tecendo sua teia.
Tem um duende dentro do meu sonho
com sua barba longa
e seu olhar de poucas léguas.
A querer-me e perder-me em breve espaço
com sua voz gritando poemas.
O duende ou apenas o vento na fresta da janela?
– Lorca sorri, entre um gole de absinto e  um banho de água fria.
Meu sonho continua e o matraquear das artérias
vão levando a poesia através de mim.


imagem: Série Flores - Orquidea
Coppensia ranifera
Aquarela sobre papel Canson
Luciah Lopez




terça-feira, 30 de março de 2021

VERSOS SEM RIMAS

 



Dentro do meu coração

Uma catedral...


Ressoam passos

Revoam pássaros

Abre-se uma porta...

Olham os olhares sem fronteiras

em mais um verso sem rimas.


Choram lágrimas, as velas...


Acordam as almas em cântaros!


E a boca da manhã

engole cada estrela parideira

que ponteia a seda azul...


E eu? 

Eu ouço  a música 

e  amanheço em  flor/partitura

de uma nota só...




imagem: Série Flores - Paineira rosa

Aquarela sobre papel Canson

Luciah Lopez




domingo, 28 de março de 2021

DO SÊMEN À FLOR



 Lambi os meus olhos para não ver o vazio

Respirei o que seria, solidão

Dormi e acordei ______longe do mar, longe da lua, longe do sol.

A vegetação rasteira e verde

tomou conta de todo meu corpo

e o sêmen floresceu a semente

em jardins imaginários ____ a rosa floresceu.



imagem: Vladimir De Thérzien


sábado, 27 de março de 2021

LOUCO



O que desejas louco?

Que o vento passe por mim

levando meu corpo

em vertigens de amor e morte?!

Ah, eu  ritmei  poemas, criei metáforas

desfaleci,

ébria e tonta  de vida

me vi acesa em teu olhar 

centelha espumante na borda da taça

é rubro sangue a escorrer

pelos meus ombros lassos...

O que desejas?

Um beijo?

Um tormento de amar?

Uma canção adocicada de morte

que entorpece os sentidos cegando aos olhos

que em vão espiam a minha razão desiludida?

Ah, louco... para o mundo estou perdida

e ainda vestida 

trago a vida bordada

na barra do meu vestido.



imagem: Rafal Olblinski

AS ESTRELAS DORMIRAM MAIS CEDO




era santa________ e era a mesma noite

que se fazia

nos muros à minha volta,

era a sexta noite

do que não me domina e

nem a flor que cresce na escuridão

ou brilho das retinas.

era só um lamento

um fio de encantamento

um quase tormento,

lá________na beira do mundo

feito a chuva e a solidão.

era sexta e era noite

era tão santa

e tão calada,

que até mesmo as estrelas

dormiram mais cedo.




imagem: Série Flores - Erva Daninha

Aquarela sobre papel Canson

Luciah Lopez



sexta-feira, 26 de março de 2021

BEIJOS BOÊMIOS

 



Beijos Boêmios

Buscando beleza, bradei!
Beldade benfazeja, bem-aventurada boca
burlando banalidades: beija!

Branco bibelô, basicamente brinca beijando
bocas bonitas________boquiabertas
busca brutalizar beijos.

Burlesco boneco bizantino.

Beijando, beatifica!



imagem: Letra B
aquarela sobre papel canson
Luciah Lopez


quarta-feira, 24 de março de 2021

VINHO SECO


 

TRANSPARÊNCIAS




________ queria ouvir do vento todos os lamentos

todas as desordens

todas as tristezas________ mas ele foge, louco, ele foge!

ergue a barra da tarde

indo refugiar-se

na transparência de uma ilusão. 



imagem:  Série Paisagens  - Anoitecer

aquarela sobre papel

Luciah Lopez


           


sábado, 20 de março de 2021

ALUMBRAMENTO



Amanheceu!

Alvejada aurora  aproximou-se

assim, afável adorno.


Ansiosa , afetuosa, aprazível

absorta acomete adágio

ao apreciar anímicas alegorias .


Afirma advento.


Apaixonante adventícia.




imagem: Letra A

aquarela sobre papel

Luciah Lopez


http://www.luciahlopezprosaeverso.net


sexta-feira, 19 de março de 2021

UM LUGAR PARA OS MEUS SONHOS



Nasce uma manhã tranquila no pé da serra

onde tudo é orvalho,

onde a paz dessa manhã

 desperta os olhos teus.


Existe um lugar onde o tempo se faz eterno

colorindo as paredes da casa,

pendurando quadros 

e perfumando o ar com ramos de alecrim...




Existe um lugar onde tudo é possível,

pássaros e flores nas janelas

o suave barulho do rio...

... um lugar onde o céu e a terra

se beijam na linha do horizonte

e o teu amor se casa com o meu...


Existe um lugar onde um fogão à lenha

cozinha e assa o pão

que alimenta a criança me sorri

e caminha de braços abertos,

e o calor dos teus braços me aquece

quando à noite, o vento sopra por entre as frestas

dançando as brancas cortinas 

ou quando a chuva faz música no telhado...


Existe um lugar onde  os meus medos fogem

e minha sede é saciada na água

trazida pelas tuas mãos.

Um lugar onde os sonhos podem acontecer...



imagem: Casinha Azul

aquarela sobre papel Torchon

Luciah Lopez



terça-feira, 16 de março de 2021

NAS TRILHAS DA ILHA DO MEL

 



contraluz na paisagem 
a flor em destaque
é rara beleza.

aos nossos olhos
ângulos perfeitos
evidencia de  primavera.

fim de tarde na trilha.

na ilha o mar é calmaria.




imagem: Trilhas da Ilha do Mel
aquarela sobre papel Torchon
Luciah Lopez
*referência fotografica: Juliano Mendes Ramos


sábado, 13 de março de 2021

CAMINHOS



tantas são as encruzilhadas
que os meus pés não dão conta dos passos
e caminham atordoados
sobre a velha ponte descansando
à sombra das cores
que que o silêncio desbota em forma de aquarela

em forma de aquarela
o silêncio desbota as cores
que descansam à sombra da velha ponte
e os caminhos atordoados
levam os meus pés que não dão conta dos passos
por tantas encruzilhadas_____são tantas encruzilhadas...



imagem: Ponte de Pedra
aquarela sobre papel Torchon
Luciah Lopez


INOCÊNCIA




Ao renovar-se o olhar
que contra tudo protesta_________logo desembesta
por um tanto de querer mais...

... e no dia a dia
a inocência sã
se despede do espelho que não produz eco.



foto: Luciah Lopez



 

quinta-feira, 11 de março de 2021

TUDO É UM ENIGMA



 não parei pra ouvir o vento

nem mesmo soltar o redemoinho de areia ou o sacrifício da dor

não houve o tempo das lamentações e

nem duvidei do gosto da sopa ou

da chuva ácida que guardei dentro da mala


tudo é enigma

e as dores nada mais são

que alimento pra alma enquanto a carne se liquefaz

na brutalidade dos manguezais


jamais a covardia me feriu

e com suas patas de cascos fendidos

passou rente não deixou rastros

porquê não era nada

nada além da covardia que estanca o olhar

mas não impede a visão


os idiotas mantém a lucidez na prenhez das ideias

e dirão verdades em poemas concretos

sem que nunca seja preciso mais que um rabisco

numa folha ou num saco de pão


as migalhas enchem o papo dos pombos

e as estatuas defecadas em seu silêncio imaginário

engolem o rubor nas faces brancas de guano

enquanto canhões lançam balas incendiarias


os mortos se levantam famintos

agitando xales de teias de aranha

como bandeiras tremulantes

em busca da liberdade e canções profanas


restam as brasas e o calor e o vento lunar

e o Sol que conhecerá os meus dias finais

porque eu nasci num ciclo dentro de outro ciclo

que nunca termina numa estrada por onde rodam

ônibus e carros levando em suas corcundas

a negritude da palavra vã.




imagem: Juan Cañete



AMOR




...tampouco soubesse da figura

e muito menos do espírito...

...e quando eu voltei a sonhar

senti que não bastava apenas viver

era imprescindível estar VIVA!


Nada mais me fala da distância

que porventura exista e se guarda entre as impressões

contidas nos cabelos do Tempo

_ e o folego cadenciado

e a boca aberta e o olhar por detrás das cortinas

provocam a ironia e a réplica inefável evocando

todas as dores (da alma)...


e o beijo não acontece

não há rumores exortando o amor inóspito

(invenção de Caim) que da heresia se esconde

entre as penas da Morte. 



imagem: Google

terça-feira, 9 de março de 2021

BEIRA MAR



________ onde mora a solidão do mar?

que chega assim de mansinho

feito cantiga de ninar...


onde mora esse olhar

que embriaga e faz amar


suave entrega em noite de luar...


ah, solidão do mar

pensamento solto

coração afoito________beijo na boca

secura de amar




imagem: Beira Mar

Aquarela sobre papel Torchon

Luciah Lopez



http://www.luciahlopezprosaeverso.net

AVES MIGRATÓRIAS



... o amor é assim

como a andorinha
_____ voa a procura de um ninho
aconchega-se
permite-se
ama
e depois vai embora




foto: Luciah Lopez

domingo, 7 de março de 2021

CCONSIDERAÇÕES II



______do mundo exterior, todas os pavores

temores, angústias e sobressaltos

tudo isso e mais além

Mas a vontade de viver não me permite a inquietação

diante do medo,

estou sempre ocupada com a Vida!



imagem: Inflorescências

aquarela sobre papel Torchon

Luciah Lopez




sábado, 6 de março de 2021

SONHOS & POESIAS



________ de sonhos,
eu faço  poesias
e da realidade, eu me faço

e assim
a alegria de ser livre
faz morada aqui________ onde pisam os meus pés

.


imagem: Beira do rio
aquarela sobre papel Torchon
Luciah Lopez

sexta-feira, 5 de março de 2021

O VERSO EM SI




descobre-te o desejo
e o seu verso vem logo atrás
"garrado" em mim

no meu empenho louco
de fazer poesia
a vida é só um reflexo

rabiscos do meu mundo alheio

maneiras de eu dizer: te amo



imagem: Google


terça-feira, 2 de março de 2021

UM PEQUENO JARDIM




e de repente_____________ a luz!
as cores são acesas ao longo do olhar
e o pequeno jardim
 se torna o meu destino



imagem: Série Flora - Campânulas
aquarela sobre papel Torchon
Luciah Lopez